Ingresar a RIMA

Regístrese

  • Por favor ingrese su Código Llave

 

Premio Nobel
Três Norte Americanos ganharam o Nobel de Medicina por descobertas sobre o relógio biológico
Contribuíram para a descoberta dos mecanismos moleculares que regulam o ritmo circadiano.


Os Norte Americanos Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young receberam el Premio Nobel de Medicina por suas descobertas sobre os mecanismos moleculares que regulam o ritmo circadiano, isto é, o relógio biológico.

Hall, Rosbash e Young contribuíram para decifrar os mecanismos genéticos subjacentes aos ritmos circadianos, explicou o Instituto Kapapelinska de Estocolmo. Suas descobertas explicam como plantas, animais e humanos adaptam seu ritmo biológico para que esteja sincronizado com a rotação terrestre.

O ritmo circadiano ajuda a adaptar os padrões de sono, os comportamentos alimentares, a pressão sanguínea, os níveis de hormônios e de temperatura nas distintas fases do día.

Os investigadores premiados isolaram um gene que controla o ritmo circadiano normal tomando como modelo as moscas da fruta:
* demonstraram que este gene codifica uma proteína que se acumula durante a noite nas células e é degradada durante o dia;
* identificaram outras proteínas associadas a este processo;
* expuseram o mecanismo que dirige o “relógio interno” das células.

O “relógio biológico” funciona seguindo os mesmos princípios em células de outros organismos multicelulares, incluindo o humano. Também existem indícios de que um desajuste crônico entre o estilo de vida e o ritmo biológico interior pode aumentar o risco de desenvolver várias doenças. Segundo o Comitê Nobel, esta é uma das implicações mais importantes deste descobrimento.

Em 1984 Hall e Rosbash, trabalhando em colaboração com a Universidade Brandeis de Boston, em conjunto com Young - que estava na Universidade Rockefeller de Nova York- conseguiram isolar o gene que controla o ritmo circadiano.

Después, Hall e Rosbash descobriram que a proteína codificada por esse gene se acumulava durante a noite e era degradada durante o dia. Os níveis da proteína oscilam em um ciclo de 24 horas, sincronizados com o ritmo circadiano.

O bem-estar dos seres humanos se vê afetado quando existe um desequilíbrio entre o ambiente que o rodeia e a seu relógio biológico. É o que ocorre, por exemplo, quando se viaja atravessando vários fusos horários e se experimenta o "jet-lag".

Como em outros campos do conhecimento, as descobertas em ciências básicas abrem caminhos para explicar fenômenos que inicialmente parecem não estarem vinculados. Um exemplo disto é a possível relação entre os ritmos circadianos, a alimentação e a flora intestinal. De acordo com uma revisão publicada na Nutrition Reviews, intitulada: "Complex interactions of circadian rhythms, eating behaviors, and the gastrointestinal microbiota and their potential impact on health" (Nutrition Reviews; 75 (9), Págs: 673 - 682, 2017), o impacto dos alimentos sobre a flora intestinal poderia estar condicionado não só por sua qualidade, mas também pela hora do dia em que são consumidos. Esta relação poderia ser responsável pelo efeitos sobre a saúde que alguns transtornos da alimentação apresentem.